Sepultura, ‘Chaos AD’ (1993) é Considerado o 29º Melhor Album de Metal

De acordo com o site da Rolling Stone o álbum da banda brasileira Sepultura “Chaos A. D.” de 1993 ficou em 29º lugar entre os 100 melhores álbuns de metal de todos os tempos.


Depois de anos de  thrash e death metal, Sepultura ficou livre de ortodoxia rígida em seu quinto álbum, Chaos AD. Desta vez, eles canalizaram sons mais lentos e pesados ​​na veia do Álbum Negro de Metallica, batidos em ritmos de sua terra natal o Brasil, experimentaram com vocais de ópera (“Amen”) e focada nas texturas de seus sons, como o som do coração do filho do fúnebre de Max Cavalera antes do “Refuse / Resist”. Eles também adicionaram influências hardcore, punk e industrial à mistura e foram para uma produção mais limpa, permitindo que as letras sociopolíticas do cantor brilhassem. “Você tenta o seu melhor para levar sua vida de forma positiva, mas sempre há algo ou alguém para fodê-lo e fazer você ficar chateado” Ele disse a Thrasher em 1994. “É aí que as minhas ideias sobre letras são originárias”. Mesmo nos momentos mais obtusos do Chaos AD , como o famoso cameo do líder do ex-morto Kennedys, Jello Biafra, na teoria da conspiração, temático “Biotech Is Godzilla”, a política compõe o coração do LP.


Os trilhos de “Refuse / Resist” que afundam contra a polícia excessivamente zelanda, o “Territory” inchado coloca os ditadores na mira, em “Propaganda” som bem pesado de baixo carrega a mensagem “não acredita no que vê” e no “Thrash-y” Slave New World “é uma fúria contra a repressão estatal. Enquanto isso, o irmão do baterista de Igor Cavalera, aumentou os sulcos da banda com percussão tribal, E todo o grupo explorou a música indígena no “Kaiowas” instrumental acústico, que anunciaria seu próximo álbum, os ousados ​​e igualmente influentes Roots de 1996 .


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *